Saturday, May 05, 2012

Tu és Deus



Um abraço à Mir. E à minha mãe, deixo isto que rasurei há anos.



Mãe


entre as estações e as datas, os silêncios e as pausas
hás-de cumprir penas que te serão vitalícias
entre perder e ganhar que isto de viver é mais
do que nascer num apgar qualquer,

Uma palmada no rabo, gritas e dentro
desse apgar qualquer,
sentes o bisturi cortar o cordão
a que ficarás ligado pra sempre
no coração da mulher que é (tua) mãe.

No comments: