Tuesday, December 09, 2008




Poesia pra gritar à esperança num dia sem escolha
O amor não é infindo como não é o Inverno...


chuva fria molha
face quente sem doer
neve queima cultura
mas não é dura
como martirizar ou moer


que dói mais
a palavra que sai seca
no calor da discussão
rasga muito o amor
quando gritado na posse
da suposta paixão

desamor abriga dias
do mofo nasce o bolor
cereais aguardam sol
ou morrem


não há qualquer amor na prisão
nem o amor por nós próprios

4 comments:

Cosmunicando said...

"não há qualquer amor na prisão"... amor com condições não devia merecer o nome.
De fato, é raro o amor, Nina.

RUBENS GUILHERME PESENTI said...

nina, meu anjo, que bacana te ver por aqui.
muito legal seu comentário confessional em meu blog.
beijão super carinhoso

innername said...

:))) agora o ambiente aquece...deve ser brisa brasileira...
Obrgd aos dois. Pois é, através do cosmunicndo cheguei ao poemastigando. Beijo aos dois

RUBENS GUILHERME PESENTI said...

um pedido: coloque uma foto com a cabeça levantada e com um lindo sorriso que já vi em outras fotos.
um beijo, um abraço e um ombro.